Quando lavei meu passaporte

passaporte-capa

O que fazer se seu passaporte molhar                                                                                      .                                                                            Sim, isso foi real! Eu, literaralmente, lavei meu passaporte! Dois meses depois que me mudei pra Praga, parti de férias, primeiro pra Bulgária e depois pro Brasil, pra curtir o Carnaval e fugir do inverno tcheco (já me falaram que aqui chega a -35 graus! Jesuuuus!). Consegui uma promoção inacreditável (mil dilmas ida e volta! Yaay! \o/) mas com muitas conexões, o que significava passar por diversos controles de imigração. Por isso, pra facilitar a vida, coloquei meu passaporte no lugar mais acessível possível: o bolso da minha jaqueta, junto com o mp3 e o celular.

A primeira parada em terra brasilis foi em Brasília, onde fiquei na casa de uma amiga. Depois de vinte dias na Bulgária, dois dias viajando e trocando de roupa pelo caminho, pensei: Caracas! Minha chance de lavar toda essa roupa suja acumulada! Fui pegando tudo que tava em vista, fiz um bolo e joguei na lavadora um pouco antes de sairmos pra passear. Tudo certo, tudo lindo, tava lá me aprontando, organizando a bolsa, quando…: P-Q-P! Minha jaqueta…… MEU PASSSAPORTE!! NÃO! NÃO! NÃÃÃÃÃÃÃO!

psicose

Sai desesperada torcendo pra ter tirado as coisas do bolso da jaqueta… só que não. Catei a bendita dentro da máquina, abri o bolso e lá tava o bichinho to-do ensopado e cheirando a sabão em pó juntamente com o meu mp3, que morreu afogado obviamente.

Era um domingo e minha amiga tinha feito uma mega programação pra gente. Decidi não estragar nosso dia e fiz o que dava pra fazer naquele momento. No meio tempo antes de sairmos, enxuguei o passaporte com uma toalha, passei o secador por cima e, por fim, coloquei folhas de papel higiênico entre as páginas do passaporte. Medidas desesperadas? Sim ou com certeza?

Abstrai o assunto o dia inteiro e quando voltamos comecei a pensar na soluções para resolver aquela situação já que a questão era BEM complexa.

Pra começo de conversa, como o processo pra emissão do meu visto de longa estadia na República Tcheca tava em andamento, pra sair da Zona Schengen, precisei informar oficialmente à Foreigner Police tcheca a data da minha saída e, principalmente, a data de retorno ao país. Em outras palavras, eu precisava MESMO estar de volta na data informada sob pena de nem sei o que e não procurei saber pra não ter um enfarto. Dito isso, o desespero era justificado pelas alternativas que eu tinha:

1a Tirar um passaporte novoProblema:

tempo: agendar com a Polícia Federal e emitir um passaporte novo, tudo em 15 dias corridos, o que implacaria em outro problema que eram…

documentos: pra tirar um passaporte novo é preciso o Título de Eleitor e o meu estava em Praga. Até que o Título chegasse ao Brasil, o tempo pra emissão seria reduzido pra, sei lá, 10 dias.

2a Tirar um passporte de emergência. Problema:

Esse tipo de passaporte é emitido em 24h, porém, como na primeira alternativa, também exige a apresentação do Título de Eleitor, que eu não tava comigo. Além disso, esse tipo de passaporte tem validade de apenas 1 ano e eu teria que explicar pra Foreigner Police tcheca a razão de mudar tanto de passaporte, o que não seria nada legal pro processo de emissão do visto.

Enfim, eu tava bem ferrada!

Quando voltamos pra casa, continuei mais um tempo passando o secador em cima do passaporte, até que abri na última página e me deparei com isso:IMG_1538

Ou seja, parece que eu segui exatamente as regras do que NÃO fazer hahaha Cara, se eu achava que tava ferrada, agora eu tinha certeza absoluta! 

A essa altura, o passaporte já tava com as páginas enrugadas e a capa torta e eu querendo estar morta. Troquei as folhas de papel higiênico entre as páginas, coloquei um livro em cima pra fazer pressão e passei uma noite do cão pesquisando o que fazer até a página dez das buscas do Google.  Achei todo tipo de relato e um deles (esse aqui) dizia que apesar de ter sido molhado, o passaporte tinha funcionado. Só que eu simplesmente não podia esperar até o embarque, dali a um mês, chegar lá e ops…! não tá funcionando, moça. Precisava achar alguma forma de testar o passaporte. Ok.

Na manhã seguinte, liguei pra Divisão de Passaportes da Polícia Federal em Brasília, que era onde eu tava, e falei com um funcionário muito prestativo que se solidarizou com a minha situação e me orientou a ir ao posto da PF no aeroporto e falar diretamente um colega dele. Cheguei lá tentanto disfarçar o nervoso, contei rapidamente a situação pro tal colega e antes mesmo de ver o passaporte ele soltou um: “ihh já era, tira outro!”. Com toda a calma que ainda me restava, expliquei que tirar um novo não era bem uma possibilidade. Pedi, por gentileza, pra ele testar na máquina da imigração só pra ter certeza de que eu realmente podia sentar e chorar. Lá foi ele. E quando ele voltou: “Tá funcionando, foi só um mergulho!” hahaha

ana-paula
Minha reação deve ter sido essa hahaha

Cara, quase que dou um abraço no moço que não lembro o nome, tava muito nervosa hahaha Ele disse que tava funcionando normalmente e que como a página de identificação (onde fica o código de barras) tava intacta, provavelmente não teria problemas futuros. Todos os carimbos também parecem nunca ter visto água. Na verdade, a única coisa que ficou mesmo danificada, e mesmo assim nem tanto, foi o visto da Bulgária, que tá expirado, então nevermind.

Visto búlgaro com a foto "clonada" na outra página
Visto búlgaro com a foto “clonada” na outra página

No caminho de volta pra Praga, passei por vários controles de imigração e funcionou em todos, sem nenhum questionamento por parte dos agentes. UFA!

Olha, não desejo essa agonia pra ninguém! Mas caso aconteça, o que eu sugiro é seguir as regrinhas da capa do passaporte (aquelas que eu não segui, sabe? rs), secar com uma toalha (não secador!!), deixar papel absorvente entre as páginas e trocar frequentemente, quando os papéis tiverem úmidos. Na pesquisa do desespero descobri até um desumidificador portátil que quase comprei, mas felizmente, não foi preciso. De qualquer forma, deixo aqui o link, vai que…! O meu ficou um pouco enrugado, mas, cara… to nem aí! Contanto que funcione, tá ótimo! :)

passaporte-molhado

Agora se o passaporte estiver muito danificado, o negócio é ir mesmo nos postos da Polícia Federal dos aeroportos, tentar desenrolar pra que eles testem nas máquinas do controle de imigração e rezar! rs

Com essa história toda, aprendi a lição e pra não correr mais riscos o meu fica guardado em uma “proteção à prova d’água”! hahaha Fica a dica! 😉

zip-lock

2 thoughts on “Quando lavei meu passaporte

Deixe uma resposta

Scroll To Top