Mudando pelo Mundo

DSC_0092

Do Amazonas à República Tcheca. Como vim parar aqui :)                                             .

Bom, sou do Norte, lá de Manaus/Amazonas, e em 2006 troquei o Rio Negro pelo Rio de Janeiro, onde sonhava em morar desde pequena. Fiquei por lá até 2009, quando tive que decidir entre continuar estudando pra concurso público no Rio ou me mudar pra Brasília, onde já tinha uma vaga garantida.

Parti pra Capital Federal, onde passei dois looooongos anos (foi um período bem hard, pois não me adaptei à cidade), quando consegui finalmente voltar pra Cidade Maravilhosa. Mas o custo de vida carioca não tava nada maravilhoso, uma vez que a mudança foi no período do boom imobiliário em decorrência da Copa e das Olimpíadas. Tudo ficou absurdamente caro e não baixou mais. Nesse meio tempo, eu já tinha conhecido o partner , que morava na França, e nesse contexto, além da ponte aérea intercontinental, começamos a fazer contas (+ poupança) e analisar todas as alternativas para alterar o status do nosso relacionamento do modo a distância para modo presencial, ou Rio ou na Europa. Foi um planejamento a longo prazo, que se estendeu até abril do passado (2015), quando parti pra Europa.

rio de janeiro
Rio <3

Foi uma decisão difícil? Olha, menos do que parece e apesar de amar o Rio. Todos os fatores foram convergindo para a mudança e eu basicamente captei a mensagem (segui o fluxo rs). Além do que, quanto mais você se muda, mais fácil fica a próxima mudança, mesmo que seja num nível “mais elevado”, vai por mim! :)

Nessa época, o patner estava morando em Sófia, na Bulgária, onde entrei e permaneci por seis meses com visto de reunião familiar (esse assunto merece um post exclusivo!). O plano inicial era me estabelecer por lá e, pra um primeiro momento, a intenção era me ambientar com o país, que sim, é outro mundo! Comecei a estudar búlgaro, conhecer melhor a cidade e explorar um pouco mais o interior do país, que até já conhecia bastante, pois frequentava de férias desde 2010, mas sempre tem algo novo pra ver.

dobrinishte
Dobrinishte, Bulgária

Poucos meses depois da minha chegada, surgiu a possibilidade de vir pra República Tcheca. Ainda tinha caixas fechadas do Brasil pela casa, mas achamos que a mudança (mais uma!) era uma boa ideia.

E assim foram meus seis meses na Bulgária, três desfazendo malas, três fazendo malas! Popovisk (o patner) é tão acostumado com mudanças quanto eu, o que ajuda bastante no processo decisório, pois ambos sabemos o que analisar em toda a sistemática de uma mudança (tanto, que ainda demos umas aulinhas pra empresa de realocação tcheca responsável pela gente aqui rs).

inverno-praga
Parque Riegrovy Sady, Praga, República Tcheca

Agora, estamos há alguns meses em Praga, tentando “botar as tchecas pra sambar” (rsrs), mas por conta de fatores ambientais (leia-se frio, como vocês podem ver na foto acima), ainda não animamos de sair pra conhecer de verdade a cidade. Que venha a primavera! :)

Uma mudança deixa sempre patamares para uma nova mudança“. Maquiavel

2 thoughts on “Mudando pelo Mundo

  1. Adorei o “quanto mais você se muda, mais fácil fica a próxima”. Como participante quase ativa desse fluxo, ora por ser defensora e uma brasiliense nata, sei que seu fluxo não nada além de viver o que as fronteiras não permitem.
    Se cita titio Maqui, aproveito para citar Gil, “andar com fé eu vou, que a fé não costuma faiá”, e pra gente, man, essa fé não tem dono, tampouco fronteiras :)

    simbora!

Deixe uma resposta

Scroll To Top